1.º Visconde de Santarém

João Diogo de Barros Leitão de Carvalhosa, 1.º visconde de Santarém

Senhor de Pontével, Ereira, e Lapa, alcaide-mor de Santarém, senhor do morgado de Vaqueiros; comendador da ordem de S. Tiago; cavaleiro da de Cristo, guarda-roupa da rainha D. Maria I e de D. João VI, e seu guarda-jóias; tesoureiro do bolsinho, guarda tapeçarias, apontador dos foros dos reposteiros e moços da câmara; inspector da quinta de Belém e de todos os paços reais, escrivão da fazenda da Casa de Bragança, secretário da do infantado, guarda-mor do Lastro, etc.

N. em Santarém a 18 de Abril de 1757, fal. a 12 de Janeiro de 1818.

Sucedeu à casa de seu pai a 15 de Março do 1806. Casou em 1788, com D. Mariana Rita Xavier Porcille Okelly Ribeiro Rangel, filha herdeira de António Bernardo Xavier Porcille, fidalgo da Casa Real, do conselho de D. Maria I, cavaleiro da ordem de Cristo e desembargador do senado da câmara de Lisboa, e de sua mulher D. Mariana Okelly. Falecendo sua mulher a 16 do Novembro de 1794, passou a segundas núpcias com D. Maria José de Sampaio, filha de Inácio José de Sampaio Freire de Andrade, fidalgo da Casa Real, cavaleiro da ordem de Cristo, escrivão da fazenda da ,junta da Casa de Bragança, e de sua mulher D. Angelina Inácia Pereira de Aguirre.

O título de visconde de Santarém foi concedido por decreto de 17 de Dezembro de 1811. A sua residência em Lisboa era na rua de Buenos Aires, mas estavam quase sempre em Paris.

Fonte: www.arqnet.pt/dicionario/santarem1v.html

Deixe uma resposta